Anvil - Anvil Is Anvil
12 Faixas - Shinigami Records - 2017

    Os veteranos músicos canadenses da cidade de Ontário estão na ativa desde 1978, sempre batalhando para conseguirem uma maior notoriedade, que só aconteceu após o documentário Anvil -The Story Of Anvil de 2008, que mostrou a sinceridade, a perseverança, erros e acertos do Power Trio nestes agora quase quarenta anos de carreira, que já somam dezesseis discos de estúdio e um ao vivo.

    Neste novo trabalho, justamente o décimo sexto, cujo título Anvil Is Anvil é uma síntese da proposta de suas músicas: um som no padrão Anvil de ser em que sua capa mostra a bigorna ( Anvil ) se admirando no espelho. Este desenho é de Robb Reiner, que também comanda as baquetas da banda ao lado Steve "Lips" Kudlow ( vocais e guitarra ) e Christopher "Christ" Robertson ( baixo e vocais ). Desta vez, eles optaram por gravar o disco com um produtor alemão ( Martin "Mattes" Pfeiffer ) em um estúdio alemão ( o Red Head Studio "D" em Pulheim ), onde foi realizado também o processo de mixagem.

    Poderia causar uma estranheza isto pelo fato de Steve "Lips" Kudlow e Robb Reiner serem descendentes de judeus trabalharem com um produtor alemão, mas, conforme o vocalista comenta: "Ninguém é culpado das coisas que aconteceram antes do seu tempo, especialmente na Alemanha que tem examinado minuciosamente e assumido o seu próprio passado. O Anvil sempre foi bem-vindo na Alemanha, mesmo em épocas difíceis. Quando pensamos na Alemanha, pensamos em amigos, não em criminosos de guerra", ou seja, o que passou... passou e não deve ser esquecido, mas, temos que lutar pela paz sempre. A masterização de Anvil Is Anvil é do mestre Jacob Hansen em seu Hansen Studios na Dinamarca.

    Daggers And Run, composição com temática pirata, que é definida por Steve "Lips" Kudlow da seguinte forma: "Nós nunca gravamos uma canção de pirata como 'Daggers & Rum' antes. E tenho certeza que essa música se encaixará perfeitamente na próxima turnê" ficou com a honra de abrir Anvil Is Anvil com barulhos de mar, chuva e coros com um ritmo cadenciado, que é vocalizado com empolgação, além de ser uma excelente canção de abertura é também capaz de conquistar o ouvinte rapidamente pela evolução instrumental que foi aplicada, tanto que facilmente você cantará seu título com o trio, que me leva a concordar plenamente com a afirmação de Steve "Lips" Kudlow.

    De andamento mais acelerado e calcado na linhagem oitentista do Heavy Metal, a inflamada Up Down Sideways chega disparando seus solos de guitarra do jeito que crescemos ouvindo junto aos vocais que estão cheios de garra. Depois em Gun Control encontramos um Heavy com incursões no Blues em uma letra que deixa claro o posicionamento do vocalista na questão de armas em uma contagiante sonzeira em que os riffs de guitarra feitos por Steve "Lips" Kudlow chamam a atenção imediatamente e será difícil eles não ficarem em sua cabeça ou você desejar socar o ar durante sua execução.   

    Com o baterista Robb Reiner praticamente dinamitando o início de Die For A Lie, o Anvil nos mostra outra impactante canção do cd, onde a fusão de suas melodias Heavy com os vocais acontecem com precisão e que vamos curtir com facilidade, onde sua letra é definida por Steve "Lips" Kudlow da seguinte maneira:"A religião é frequentemente usada para envolver as pessoas em conflitos militares. Ódio em nome de Deus, isso é totalmente errado!".

    Para Runaway Train, os canadenses atacam com uma intensa e infectante canção que é dotada de um ritmo Heavy mais acelerado e bastante marcante com vocais contagiantes, enfim, uma sonzeira. Na sexta, o baixista Christopher "Christ" Robertson nos expõe junto ao baterista Robb Reiner a linhas cadenciadas, que conferem a Zombie Apocalypse um ritmo que será - assim como nas anteriores - facilmente apreciado. Além de chamar sua atenção ao estilo "Halfordiano" de Steve "Lips" Kudlow ao cantar... também te conclamo a notar em seus potentes solos de guitarra. A vibração Heavy prossegue com a homenagem do Anvil para o ícone Lemmy Kilmister em It´s Your Move, um 'Rockão' pesado e apimentado com vocais encorpados e linhas instrumentais com a conhecida pegada praticamente pelo Motörhead.

    Em Ambushed, o Anvil continua Anvil Is Anvil com mais outra vigorosa canção, que é possuidora de um imenso poder de capturar o fã, pois se trada de um verdadeiro Heavy Metal puro sangue de solos ferventes e seu refrão certamente ficará incrustado em sua cabeça.

    O rolo compressor metálico do Anvil se mostra ainda mais abrangente com A Fire On The Highway, que é um pouco mais agressiva e é vocalizada com muita intensidade e fervor por Steve "Lips" Kudlow, que também é responsável por garantir uma 'rifflerama' de primeira à esta composição, cujo refrão é altamente convidativo para a participação do fã ( e isso ao vivo será eletrizante ). Quem curte linhas de bateria pulsantes se ligue no que Robb Reiner cravou nesta faixa.

    E por falar nisso, a voltagem contida em Run Like Hell posta-se como outro magnífico Heavy Metal com vocais, solos de guitarra, baixo e bateria interagindo perfeitamente aumentando assim o grau de satisfação desta décima faixa de Anvil Is Anvil. Com um estilo militar e um ritmo de hino, Forgive Don't Forget expressa os ocorridos na II Guerra Mundial quando os alemães massacraram os judeus no sonho louco de seu líder Adolf Hitler e eu te desafio aqui a conseguir ouvi-la sem cantarolar algum trecho, ainda mais com seu andamento que me lembrou um pouco do Venom. Finalizando o cd e inclusa como bônus, o Rock'n'Roll pesadão de Never Going To Stop foi a escolha mais cadenciada para incendiar de vez o cd, confirme sentindo os solos de guitarras, as ligações de baixo e bateria, além de sua letra, que recomendo pegar o encarte do cd e conferir linha por linha.

    O Anvil mostrou nestas doze músicas uma considerável dose do melhor do que considero como Heavy Metal, que me levam a definir este explosivo disco lançado pela Shinigami Records de acordo com o seu título Anvil Is Anvil, ou seja, praticamente indestrutível, pesado e ponto final. Parabéns, Steven "Lips" Kudlow, Robb Reiner e Christopher "Christ" Robbertson por nos brindarem com um álbum deste porte.
Nota: 9,5.

Sites:  http://my.tbaytel.net/tgallo/anvil/, https://www.facebook.com/anvilmetal, https://www.youtube.com/user/AnvilTheMovie e https://twitter.com/AnvilMetal666.

Por Fernando R. R. Júnior
Setembro/2017

Voltar para Resenhas